Grilhão.

Fraqueza não. É transbordar de gostos, transbordar puro e simples. Ostentação gratuita de diversas coisas possíveis, imagináveis, pra quê tentar prendê-las? Tem um grande nevoeiro na minha cabeça, bem no espaço destinado à escrita. Portanto, não escrevo. Sinto. Não tenho controle, não foi nesse sentido que disse que tinha controle! Me limito a não forçar as portas, a ficar deitado na grama. Nem quero saber de portas agora. Só quero saber de você. E vejo cada vez mais claramente o (crescentemente?) descomunal grilhão a lhe prender as canelas. Não que seu peso aumente a cada noite mal dormida seguida de aromas cinzentos. É sua tolerância a essa porcaria que está diminuindo. Então vou ficar aqui, esperando pra te agarrar quando a energia descolorida desses ferros explodir — te arremessando, em multicores, para longe do preto e branco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s