Morangos.

Choviam frutas dentro do quarto. Úmido e gentil, um ar saboroso lhes acariciava as peles. Preenchendo o ambiente, uma escuridão tremia mansa nos susurros, e lhes adivinhava os corpos. Em poucos instantes um suave campo de morangos prolongou-se por toda a extensão da noite.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s